Fechar

www.vejaagorabrasil.org

Buscar

Uber começa hoje a aceitar dinheiro, mas  novidade gera medo e críticas entre motoristas
TECNOLOGIA

Uber começa hoje a aceitar dinheiro, mas novidade gera medo e críticas entre motoristas

JULY Reportar Abuso

A partir desta sexta-feira (29) quem utilizar o Uber em São Paulo terá a opção de pagar em dinheiro. Até então, a única maneira era por meio de um cartão de crédito cadastrado previamente no aplicativo. Com a novidade, a empresa espera atingir aquela parcela da população que ainda não deixou de usar o táxi por não possuir cartão de crédito.

Por outro lado, alguns motoristas não ficaram muito entusiasmados com essa possibilidade. “Aí azedou”, comentou um parceiro da empresa norte-americana em um grupo fechado do Facebook de condutores da Uber. Outro insinuou que o serviço vai se transformar em “Uber lotação”.

Além disso, o medo de assaltos é tema recorrente nas publicações feitas por condutores da empresa. “Então qualquer zé mané pode baixar o app, é só ter cel? Realmente vai ser um prato cheio pra assaltos... É só o bandido chamar e levar!!? (sic)”, questionou outro condutor. Outros falam em aumento da possibilidade de calotes nas corridas.

Questionada, a Uber informou que qualquer passageiro está sujeito a avaliação por parte do motorista e que, em caso de calote, poderá ser banido da plataforma. Sobre assaltos, a empresa diz que os carros dos parceiros não são identificados e que o risco é praticamente o mesmo de qualquer cidadão.

Diante da possível vulnerabilidade ao andar com dinheiro em uma cidade onde o número de assaltos a mão armada superam os 400 por dia, uma motorista fez uma sugestão no grupo do Facebook.

“Quando recebemos por cartão, seja via Uber (onde a taxa do cartão está embutida nos 25% que ela nos desconta) ou via maquininha, a taxa que pagamos é também referente à segurança de não mexermos com dinheiro vivo. Agora, é injusto a Uber cobrar os mesmos 25% nos recebimentos em dinheiro, pois nós assumimos o risco de assaltos, notas falsas, calote, etc. e pagamos a mesma coisa para eles. O correto seria uma comissão de uns 20% no caso do pagamento em dinheiro, esses 5% ficariam conosco por termos que assumir a responsabilidade”, escreveu.

Também há motoristas que defendem o pagamento em dinheiro. "Quem não quiser aceitar viagem em dinheiro... Não precisa se preocupar com troco... Estou feliz, recebo em real, dólar, euro, etc., comentou um homem.

A mudança no maior mercado da empresa norte-americana, São Paulo, ocorre poucos dias após o início do serviço EasyGo, da empresa Easy Taxi, que será mais um concorrente direto do Uber. No EasyGo, o passageiro escolhe se pagará com cartão de crédito cadastrado no aplicativo, com cartão de débito (máquina) ou em dinheiro. Na Uber, motoristas não estão autorizados a utilizar máquinas de cartão.

A ideia de aceitar o pagamento em dinheiro começou em três capitais do Nordeste (Fortaleza, Recife e Salvador), onde a empresa identificou que 60% das pessoas que começavam o cadastro no aplicativo desistiam na hora de informar os dados do cartão de crédito. A modalidade de pagamento foi estendida também para Belo Horizonte antes de chegar a São Paulo. Com isso, a Uber permite continuar a inscrição mesmo sem cartão.

Caso o motorista não tenha troco, o passageiro poderá optar por receber a diferença em créditos na Uber para usar na próxima viagem ou na fatura do cartão de crédito, se tiver cadastrado no app.

Publicidade