Fechar

www.vejaagorabrasil.org

Buscar

POLÍTICA

Justiça nega pedido da PF para condução coercitiva de Haddad

JUNE Reportar Abuso
Justiça nega pedido da PF para condução coercitiva de Haddad

Quinta, 01 de Junho de 2017 - 15:18
Por Redação Bnews



A Polícia Federal (PF) solicitou a Justiça Eleitoral a condução coercitiva do ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT) e sua ex-vice Nádia Campeão na Operação Cifra Oculta, mas teve o pedido negado.

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira (1) a ação ostensiva da investigação que apura crimes eleitorais e lavagem de dinheiro relacionados à campanha, em 2012, do então candidato Fernando Haddad, para prefeitura municipal de São Paulo. A ação é um desdobramento da Operação Lava Jato. O ex-prefeito será intimado a prestar depoimento.

O juiz da 1.ª Zona Eleitoral de São Paulo, Márcio Antônio Boscaro, determinou, além da busca e apreensão, o sequestro de bens em gráficas que prestaram serviços à campanha de Haddad, em 2012, para a Prefeitura de São Paulo. A decisão também se estende aos endereços residenciais dos donos das gráficas.

Baseado em uma determinação do Supremo Tribunal Federal (STF) para desmembrar a colaboração premiada de executivos da empresa UTC, o inquérito apura o pagamento, pela empreiteira, de dívidas de uma das chapas da campanha de 2012 à prefeitura municipal de São Paulo, referentes a serviços gráficos no valor de R$ 2,6 milhões. A gráfica pertencia a familiares do ex-deputado estadual Francisco Carlos de Souza.

Por meio de nota, a assessoria de Haddab, informou que a gráfica citada, de propriedade do ex-deputado Francisco Carlos de Souza, prestou apenas pequenos serviços devidamente pagos pela campanha e registrados no TRE.

Publicidade